Olá amiga(o)tudo bem? Quero agradecer pela sua visita a este espaço. Este blog é um lugar de amizade e informação entre pessoas. Que ele seja um lugar da mais Alta Shalom do Eterno. Desde Sião, que chuvas de bençãos caia sobre voçê e os seus amados. Que O Eterno D'us lhe exalte e bendiga! ✡ALESSANDRO MARTINS PAULA ✡: Novembro 2009

sábado, 21 de novembro de 2009

CARTA ABERTA AO PRESIDENTE DO IRÃ - por José Roitberg















Tenho a certeza de que será uma das piores viagens oficiais de sua vida. Vai encontrar aqui um país cristão, coisa que abomina. Vai ter que se encontrar com políticos e empresários que usam gravatas, acessório proibido pelo código de vestimentas (lei no Irã) porque na visão xiita a gravata simboliza uma cruz em torno do pescoço dos homens. E verá mais de 5 cores de ternos, outra coisa também proibida no Irã.

Espero que passe por nossas praias e não fique olhando para o chão do carro, pois precisa se confrontar com a liberdade ocidental de expor o corpo humano vivo e não os cadáveres. Precisará se controlar para não dar uma olhadinha em nossas beldades desnudas não só nas praias, mas com vestidinhos de Geisy por todos os cantos. Imagine o que é isso para alguém que defende a burka? É o próprio Faya, o Inferno muçulmano.

Mas seja bem vindo aqui Ahmadinejad. Espero que se encontre com o presidente Lula em seu gabinete, veja a Bíblia sobre a mesa, veja a mezuza na porta ao lado na sala da Clara Ant. E pense muito bem no que fazer: apertar a mão de uma judia comunista de rosto descoberto e tornozelos de fora? Que dilema teológico…

Mas seja bem vindo Ahmadinejad. Depois de se esquivar da Clara Ant, que como assessora pode até ser posta de lado, mas aí resta o Marco Aurélio Garcia, que deixa a Clara no ponto mais a direita da esquerda com sua mente sovietizada e cubanizada. Ih Ahamdinejad: você acabou com os comunistas no Irã. O que vai dizer aos nossos aqui (alguns deles o defendem hein…), a maioria, muito mais neo-liberal que de esquerda, mas não tem saída: neo-liberalismo também não é sua praia. E depois de se esquivar de um, sempre virá outro: uma grande lista de judeus e esquerdistas de fato no poder. Não são brinquedinhos buchechudos como na Venezuela. Aqui a esquerda é de raiz!

Mas seja bem vindo Ahmadinejad. Venha ver um país de 190 milhões de pessoas de todas as origens e religiões que não se matam e não disputam o poder para matar as outras, se é que isso faz algum sentido para você. Pergunte como se faz uma eleição sem fraude.

Tem umas coisas aqui que você precisava conhecer para ampliar seus horizontes mas não vai rolar. Não vai ao Corcovado. Não vai ao Pão de Açúcar, não vai dar uma volta no Saara no Rio ou na 25 de Março em São Paulo. Não vai ter uma almoço fechado no Porcão, até porque você, como muçulmano, come kosher também. Aliás, se quiser levar um salame antes voltar, passe aqui na Bolivar 45. Dá até para parar o carro na baia de descarga e tomar um café: eu pago! Aproveite para ver o que nossos vizinhos cristãos iraquianos pensam de você. Posso até marcar com uns amigos bahais. É! Tem bahais no Brasil também, religião que os xiitas escorraçaram da Pérsia e depois do Irã, tendo que se refugiar em Haifa, ainda no domínio Otomano. Ih, esqueci: tem turco para caramba aqui no Brasil. Tem libanês cristão para todos os lados. Mais libaneses e descendentes de libaneses que no próprio Líbano.

Aqui é um lugar interessante para você conhecer, pena que vai ficar acossado entre a mídia e a política e não verá nosso povo.

Pessoalmente não tenho nada contra você. Não fico nem um pouco impressionado com mais um líder muçulmano dizendo que vai varrer Israel do mapa. Pode tentar. Em 1948 quando eram fortes e os judeus fracos, não conseguiram. Depois Nasser tinha o seu discurso. Depois Sadat tinha o seu discurso. Depois Shuqueiri e Arafat tinham o seu discurso. Depois Assad (pai) tinha seu discurso. Depois Saddam, seu inimigo mortal tinha o seu discurso. Você é professor. A história lhe interessa. Olhe para trás e veja onde estão e o que conseguiram. Pelo menos podia ser original em seu discurso.

Nem seus arroubos de negação do Holcausto a cada vez que o petróleo está baixo me incomodam. Você é o presidente, mas não é o poder. Você não me preocupa e nem sei o quanto dos coisas que faz ou diz são realmente suas ou você é apenas o porta voz da junta teológica que domina os persas.

Não é aqui no Brasil que alguém vai te lembrar que é dirigente do único país xiita entre outros 53 países sunitas e que maios ou menos 1 bilhão de muçulmanos não vão com a sua cara enquanto só uns 13 milhões de judeus tem algo contra você. Isso não vão te dizer aqui. Não vão dizer que o Irã tem relações diplomáticas com menos países islâmicos que Israel. E ninguém vai chegar até você numa entrevista e perguntar: “Presidente, para que essa bobagem de dizer que Israel tem que ser varrido do mapa? Seu obejtivo não é triunfar onde seus antepassados xiitas fracassaram e retomar Meca? Abrir Meca para os persas e varrer o domínio árabe sobre o Islã no Golfo?” Não é essa a agenda verdadeira iraniana verdadeira? Vcs também seguem Sun Tzu não seguem? Faça o inimigo achar que vc está longe quando está perto…

Sei que você pode jogar a Bomba sobre Israel pois são apenas judeus, cristãos, bahais e sunitas por lá. Todos infiéis na visão. Mas você acredita que Israel tem 300 Bombas. Um monte de gente acredita. É blefe? É real? Mas a família real saudita não tem nenhuma né? Será que alguém ataca você se a Bomba cair em Ryad e não em Jerusalém? Pessoalmente, acho que não. Mas se eu fosse você ficaria com o pé atrás e mandava investigar a fundo todo mundo que está em seu programa nuclear. Você acreditaria se eu disse que algum dos cientistas paquistaneses pode ser um agente taliban da Al Qaeda, sua inimiga mortal, pronto para fazer um ataque suicida nuclear em suas instalações? Vocês são persas. São inteligentes. Sabem quem são seus reais inimigos. Sabem que sempre foram os árabes, os sunitas e agora os talibans. Depois de 10 anos de guerra com os sunitas iraquianos seus aiatolás quase atacaram o Afeganistão sob domínio taliban por 3 vezes. Só não fizeram porque foram um pouco mais espertos e deixaram os ocidentais se ferrarem por lá, como os soviéticos, sem conseguir resolver nada.

Mas seja bem vindo. Venha e ouça o que precisa ouvir! Venha e ouça o que precisa ser dito. Vai ser insuportável para você. Assine um contrato para uma área do pré-sal pois seu petróleo está acabando e você sabe disso melhor que ninguém.

E tenha uma certeza caro presidente: Israel não vai construir o segundo Yad Vashem, o segundo Museu do Holocausto. Mas se o Irã realmente enveredar pelo caminho da chantagem atômica, vocês poderão acabar tendo que construir o seu primeiro museu….



José Roitberg é jornalista - Copilado PLETZ.com

VERGONHA DE SER BRASILEIRO

Por Sérgio Malbergier












O aspecto único do Holocausto, que o diferencia de horrores comparáveis como a escravidão, é que o extermínio do riquíssimo judaísmo europeu, berço de Einsteins, Kafkas e Freuds, foi executado pelo país mais culto da Europa pelo simples fato de os judeus serem judeus.

Eles não eram inimigos do Estado, não tinham exércitos, suas mortes não serviriam (prioritariamente) para o avanço econômico de seus perseguidores. Eram apenas de uma cultura/religião diferente e foram usados pela megalomania germano-hitlerista como a antítese do super-homem ariano, a ser eliminada do tecido alemão.

O sobrevivente do campo de extermínio de Auschwitz e prêmio Nobel da Paz Elie Wiesel, ao voltar à sua aldeia natal na Romênia, disse que a vida por lá continuava exatamente igual desde que deixara o lugar com a família, 40 anos antes, rumo à morte. A única diferença é que não havia mais judeus.

Quase 9 milhões de judeus viviam nos países europeus direta ou indiretamente sob controle alemão. Os nazistas conseguiram matar cerca de 6 milhões. Se os judeus não lembrarem seu Holocausto, ele certamente será esquecido.

Por isso embrulha o estômago ver o presidente Lula abraçar o presidente Mahmoud Ahmadinejad em Nova York poucos dias depois de o iraniano declarar que "o Holocausto é uma mentira".

O insulto de Ahmadinejad foi ainda mais doloroso por ocorrer às vésperas do Rosh Ashaná, o Ano Novo judaico, período de reflexão. Os grandes países ocidentais o deploraram. O Brasil se calou.

E logo depois ainda prestigiou o semi-pária num encontro de mais de uma hora na ONU, durante a Assembleia Geral da organização, para o mundo todo ver.

Lula e o Brasil estão no auge de sua projeção de poder. Estamos mudando de liga no jogo das nações. E nossa Chancelaria vende barato nosso cada vez mais importante apoio. O que o Irã dá em troca ao Brasil?

Antes de receber Ahmadinejad na cidade com a maior população judaica do mundo, Lula já havia sido o primeiro a apoiá-lo logo após a contestada eleição do iraniano. E ainda fez uma muito infeliz comparação dos conflitos entre oposicionistas e milícias armadas iranianas a uma rixa entre vascaínos e flamenguistas.

Tal rixa deixou dezenas de mortos e enfraqueceu um regime teocrático entre os mais repressores do mundo. Mas o Brasil de Lula foi o primeiro a estender sua mão para fortalecer o regime repressor de Teerã. E ainda receberá Ahmadinejad em visita em novembro.

O presidente brasileiro, genuinamente humanista, parece ter sido enrolado pelo anacrônico terceiro-mundismo que domina seus assessores e o Itamaraty. Ao ser questionado em Nova York sobre o negacionismo hediondo de Ahmadinejad em relação ao Holocausto, Lula respondeu:
"Isso não prejudica a relação do Estado brasileiro com o Irã porque isso não é um clube de amigos. Isso é uma relação do Estado brasileiro com o Estado iraniano."

A frase faria sentido se essa relação trouxesse benefícios ao Estado brasileiro proporcionais aos gestos de Lula. Mas ela só engrossa a lista de equívocos de sua diplomacia.

Já seria duro ver o Brasil tolerar a intolerância por recompensas mundanas. Tolerá-la por nada dá vergonha!



Sérgio Malbergier, 42, é editor de Dinheiro da Folha. Foi editor de Mundo, correspondente em Londres e enviado especial a países como Iraque, Israel e Venezuela. Formado em cinema, pela ECA-USP, dirigiu dois curta-metragens: "A Árvore" e "Carô no Inferno". Copilado - Blog de Israel

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

VAMOS PROTESTAR: TERRORISTA NO BRASIL, NÃO! MANIFESTAÇÃO PÚBLICA CONTRA A VISITA DE MAHMOUD AHMADINEJAD AO BRASIL!



Evento: Ato Público em protesto contra a visita de Mahmoud Ahmadinejad ao Brasil

Data: 15 de novembro de 2009 (domingo)
Horário: 15h30
Local: Praça dos Arcos (final da Avenida Angélica)

Grupos a favor da democracia e dos Direitos Humanos organizam neste domingo, 15 de novembro, às 15h30, na Praça dos Arcos (final da Avenida Angélica), um Ato Público em protesto contra a visita de Mahmoud Ahmadinejad ao Brasil.
O Ato está sendo organizado, pela recém-fundada Frente pela Liberdade do Irã (FLI), que reúne membros de movimentos negros, grupos de defesa dos homossexuais, professores universitários, e organizações da comunidade judaica, evangélica e Bahai, entre outras.
O ato será aberto ao público e os participantes exibirão faixas a favor dos direitos humanos e contra a visita de Ahmadinejad ao Brasil.
Entre as entidades judaicas participantes estão a Confederação Israelita do Brasil (Conib), a Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp), B´nai B´rith do Brasil e a Juventude Judaica Organizada (JJO).
Nesta mesma semana ocorrerão manifestações no Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiás e Roraima.
A Frente pela Liberdade do Irã (FLI) foi criada com o objetivo de alertar imprensa, políticos e outros setores da sociedade com relação às ações antidemocráticas do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. A FLI já tem blog (http://frentepelaliberdadenoiran.blogspot.com/) e twitter (http://twitter.com/fl_iran).

Fonte: WebJudaica

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

DEVEMOS INFRENTAR "AQUELES QUE CONTAM MENTIRAS SOBRE A HISTÓRIA!'

Devemos enfrentar "aqueles que contam mentiras sobre a história" e pretendem negar o Holocausto."Existem aqueles que insistem que o Holocausto nunca ocorreu, aqueles que praticam toda forma de intolerância: racismo, antissemitismo, homofobia, xenofobia, sexismo e outras." Não podemos permitir de maneira nenhuma, "que falastrões ditadores implantem a charia pelo mundo" afora, a seu gosto próprio. O povo judeu por todo o mundo afora, decidiu impedir que o Holocausto seja jamais esquecido, para que com sua lembrança, fique assegurado que o mundo não permitirá jamais que torne a acontecer com os judeus ou com qualquer outro povo ou grupo na Terra. Sei que as fotos nos chocam, "mas uma sociedade que não se lembra do seu passado, está condenada a repeti-lo novamente." Não podemos deixar que nossa memória caia no esquecimento, NÓS SEMPRE NOS LEMBRAREMOS, para "que nenhum neo-nazista, na contra-mão da história negue o fato", o testemunho visual é muito importante. Principalmente agora com a vinda do ditador do Irã: Ahmadinejad ao Brasil, este falastrão nega o Holocausto e prega publicamente a destruição de Israel. MAS NÓS JAMAIS NOS ESQUECEREMOS!!



















"Se nós esquecermos dos guetos, dos campos de extermínio, das perseguições, das matanças, estamos abatendo os mártires com o derradeiro e mais cruel dos golpes: o esquecimento." Max Nahmias.




















"A mensagem era constante e incansável. Os judeus foram acusados de serem idólatras, assassinos e apóstatas; foram rotulados como mentirosos, enganadores, portadores de doenças, demoníacos, malignos, desprezíveis e parasitas. Joseph Goebbels, ministro de Hitler para o Esclarecimento Nacional e Propaganda, afirmou: "A essência da propaganda é ganhar as pessoas para uma idéia de forma tão sincera, com tal vitalidade, que, no final, elas sucumbam a essa idéia completamente, de modo a nunca mais escaparem dela."






















"Em 1939, o exército alemão invadiu a Polônia e deu início ao que se tornaria a Segunda Guerra Mundial. Durante os seis anos de guerra,foram assassinados pelos nazistas aproximadamente 6.000.000 de judeus, incluindo 1.500.000 crianças, representando um terço do povo judeu naquela época. Áustria: 50.000, 27%; França: 77.230, 22%; Alemanha: 134.500 a 141.500, 25%; Hungria: 550.000 a 569.000, 68%; Holanda: 100.000, 71%; Polônia: 2,9 milhões a 3 milhões, 90%; União Soviética: 1 milhão a 1,1 milhão, 35%. Esses números representam estimativas do total de judeus mortos no Holocausto nesses países. Quando a fumaça da Segunda Guerra Mundial baixou, um terço dos judeus do mundo, dois terços do judaísmo da Europa, tinha sido morto naquilo que os nazistas chamaram de "solução final", o último passo num programa em três etapas: expulsar, confinar e matar o povo judeu."























Hoje nos perguntamos, como pode uma barbárie desta acontecer? Porém tudo comessou com um louco, como este ditador do Irã: Ahmadinejad, que nega o Holocausto e prega publicamente a aniquilação do Estado Judeu. Os discursos de Hitler e as incitações de Goebbels (ministro da Propaganda nazista) contra os judeus conduziram à violência do Holocausto.

















Hitler disse: "Diga mentiras grandes; diga-as de forma simples, repita-as constantemente, tantas vezes quantas você puder, até que as pessoas comecem a acreditar no que você está dizendo."






























"Livra-me, Senhor, do homem perverso, guarda-me do homem violento, cujo coração maquina iniqüidades e vive forjando contendas. Aguçam a língua como a serpente; sob os lábios têm veneno de áspide" Salmo 140.1e3. "Não concedas, Senhor, ao ímpio os seus desejos; não permitas que vingue o seu mau propósito" Salmo 140.8. "Se exaltam a cabeça os que me cercam, cubra-os a maldade dos seus lábios. Caiam sobre eles brasas vivas, sejam atirados ao fogo, lançados em abismos para que não mais se levantem. O caluniador não se estabelecerá na terra; ao homem violento, o mal o perseguirá com golpe sobre golpe" Salmo 140.9-11. "Sei que o Senhor manterá a causa do oprimido e o direito do necessitado. Assim, os justos renderão graças ao teu nome; os retos habitarão na tua presença" Salmo 140.12-13.


















Nós repudiamos e lamentamos a atitude do Presidente Lula, da sua desastrosa política externa através do Sr Celso Amorim, que fas jus ao política petralha, que só faz acordos com países que não tem nenhum compromisso com a Liberdade, com respeito aos Direitos Humanos e com a Democracia. A atitude do Governo do Brasil na ONU, diante dos massacres em Darfur é repugnante e deplorável e alinha-o as nações ditatoriais e totalitárias sem respeito algum a liberdade e direito do ser humano. O Governo petralha foi eleito através da Democracia no Brasil, agora olhando seus pares de esquerda na América Latina, vê Hugo Chaves se perpetuar no poder e sonha com algo parecido. Este convite, ao ditador Ahmadinejad para vir ao Brasil, inclusive falo ditador porque este homen foi eleito de uma outra-forma qualquer que não podemos dizer de maneira nenhuma que é Democrática, vai na contra mão dos valores da República Democrática do Brasil e da sua constituição: que fala do respeito ha divercidade dos povos, do direito da pessoa humana, indiferente da cor, raça, religião ou sexo. Que o estado é Laico, não pode de maneira nenhuma, violar o direito da privacidade dos cidadão deste país.
Oque este governo esta fazendo, como se diz aqui no Brasil, e dando um tiro-a-culatra, traduzindo, um tiro no própio pé. Abraços e saudações a todos e que a Shalom do Eterno habite em vossos corações!

Convite a todos amigos e irmãos:

TERRORISTA NO BRASIL, NÃO!

Não podemos nos calar com a visita do presidente do Irã ao Brasil.
DIA 15 DE NOVEMBRO AS 15:30HS NA PRAÇA DOS ARCOS (Final da Av. Angélica em São Paulo)
Vista se de branco.
Traga sua bandeira do Brasil e no dia da República vamos mostrar,
que a visita de um terrorista não é bem vinda em um país Democrático
que respeita as minorias e os Direitos Humanos. Participem!

Convite da Juventude Judaica Organizada.